Mineração do Bloco Genesis e Precificação do BTC

Tentando esclarecer dúvida de um usuário postado em outro tópico:

A minha dúvida é sobre a primeira transação no bloco Genesis. Como foi minerado se não havia nada? E como, ao surgir o primeiro BTC ele foi vinculado a um valor de USD?
Afinal o primeiro minerador teve que gastar tempo e energia para a Blockchain poder prosseguir…gerando blocos e aceitando inputs…
Faz sentido?

A primeira transação no bloco Genesis

Antes de tentar responder, mesmo não tendo procuração dos programadores/desenvolvedores precisamos fazer uma introdução. Eu entendi o sentido da pergunta e acho que a pergunta não tem esse contexto, mas precisamos esclarecer. Considerar que não havia nada quando o primeiro bloco foi minerado é extremamente cruel além de ser uma frase filosoficamente incoerente. Se não havia nada não seria possível minerar. Os programadores e/ou desenvolvedores entenderão perfeitamente o que estou dizendo. Quando um sistema entra no ar já consumiu horas e horas, dias e noites, frustração e cansaço, testes e mais testes até que finalmente o sistema comece a funcionar. Salvo engano ninguém consegue desenvolver um sistema mais complexo do começo ao fim direto e reto entregando exatamente o que foi pedido funcionando perfeitamente. E o verdadeiro teste acontece quando ele é entregue e começa a ser usado operacionalmente, é a hora da verdade. O bitcoin não apareceu do nada quando foi minerado o primeiro bloco (genesis).

Em 31 outubro de 2008 um membro de um grupo de discussão sobre criptografia que usava o pseudônimo de Satoshi Nakamoto enviou uma mensagem para o grupo com a seguinte introdução: “I’ve been working on a new electronic cash system that’s fully peer-to-peer, with no trusted third party“ em tradução livre: “Eu estou trabalhado num novo sistema de dinheiro eletrônico totalmente transferível através de uma rede ponto a ponto, sem intervenção de terceiros confiáveis.” e anexou um paper que tinha o título de: “Bitcoin: A Peer-to-Peer Electronic Cash System” em tradução livre: “Bitcoin: Um Sistema de Dinheiro Eletrônico Ponto a Ponto”.

O primeiro bloco (genesis) foi minerado 2 meses depois, no dia 03 de janeiro de 2009. Pode ser que já tivesse sido minerado antes, mas esta é data oficial da mineração do bloco genesis. Para anexar o paper no dia 31/10/2008 ele teria que estar pronto e, portanto, foi escrito antes, pelos menos alguns meses antes. Outras tentativas de criação de dinheiro digital já tinham acontecido antes sem sucesso.

Para entender um pouco mais o trabalho que foi desenvolvido até o lançamento do bitcoin é preciso olhar além do bitcoin e focar no Blockchain. Veja o paper abaixo sobre Blockchain, talvez ajude a entender que não foi por acaso que o bitcoin se tornou o que é hoje:

http://www-di.inf.puc-rio.br/~kalinowski//publications/AlvesLNRLK20.pdf

Para entender na prática como foi minerado o bloco genesis veja o vídeo abaixo onde o Tiago explica passo a passo e demonstra como foi minerado o bloco genesis lembrando que o vídeo mostra apenas uma parte específica da mineração de um bloco, o ecossistema é mais amplo.

Uma transação no Blockchain do bitcoin tem coisas como assinatura digital, criptografia e computadores interligados em rede através da internet entre outras coisas. No vídeo abaixo o Tiago fala sobre transações num Blockchain:

Quando falamos de contas e saldos cada titular de uma conta quer saber qual é o saldo atualizado da sua conta e para isso existem as carteiras digitais. O Tiago explica que ao contrário do que talvez alguns possam pensar, as criptomoedas não viajam pela internet indo de um PC para outro, elas não saem de dentro do Blockchain sendo apenas transferidas (débito e crédito ou vice e versa) entre contas.

No vídeo abaixo o Tiago explica e demonstra como um Blockchain funciona na prática e como os blocos são encadeados sequencialmente de forma segura dificultando ataques como tentativas como cancelamento de transações já processadas:

Depois dessa breve introdução espero ter ajudado a demonstrar que o bloco genesis não foi minerado do nada. A maioria das pessoas que realmente se debruçaram sobre essa tecnologia dizem que ainda não temos ideia de tudo o que é possível fazer com essa tecnologia, ou seja, quanto mais nos debruçamos sobre ele mais coisas podemos aprender. Resumindo, onde você não enxergou “nada” existia muita coisa, inclusive finalidades que sequer foram descobertas.

Atualmente são realizadas (e registradas/guardadas) diariamente quase 260 mil transações (transferências de saldos entre contas, por isso o Blockchain também é conhecido como livro-caixa, ou seja, registra as transferências de valor(es) entre as contas e mantém o saldo de cada conta atualizado) no Blockchain do bitcoin. Para simplificar vamos arredondar para 240 mil transações por dia, 10 mil por hora ou cerca de 1.666 transações a cada 10 minutos (em média cada novo bloco é minerado a cada 10 minutos). Estas milhares de transações são processadas por uma rede interligada com milhares de computadores trabalhando 24 horas por dia para realizar esse processo (chamado de mineração).

O bloco genesis tinha uma única transação e possivelmente foi processada num único PC ou Notebook “caseiro” daquela época (2010) e deve ter demorado bem mais do que esses 10 minutos que é o padrão atual.

Valor ou Preço?

Existem abordagens diferentes para esta dúvida.

Uma delas seria entrar pelo terreno da economia abordando o conceito de precificação de bens (teoria dos preços). Numa simples frase, para entender por que tudo tem um preço, basta pensar que basicamente tudo que existe numa economia tem algum preço associado a ele. Se você vive sozinho numa ilha deserta o preço não tem nenhuma importância. Se você vive numa sociedade convive diariamente com coisas que são precificadas. O dinheiro é o instrumento que serve para que as coisas que existem numa sociedade circulem sem os problemas que existiam antes da invenção do dinheiro, quando existiam apenas as trocas de mercadorias. Nem sempre ou quase sempre a(s) mercadoria(s) que você quer estava disponível no lugar e na quantidade que você queria e mesmo que existisse talvez o vendedor não queira trocar pelo(s) produto(s) que você tem. Para resolver esse problema passaram a usar bens como meio de pagamento (exemplo: sal) e depois surgiu o dinheiro (meio universal de pagamento) que facilitou esse processo. O bitcoin é algo universal e faz parte do mundo como a maioria das outras coisas que existem sendo natural que tenha um valor vinculado a ele para que você possa comprá-lo caso queira.

Outra possibilidade de resposta é seguir pela via cambial. Porque 1 Dólar custa mais de 5 Reais? Ou seja, por que o Real está vinculado ao Dólar?

O título do documento (white paper) que é uma espécie de certidão de nascimento do bitcoin já responde parcialmente a sua questão. “Bitcoin: Um Sistema de Dinheiro Eletrônico Peer-to-Peer” (peer to peer = ponto a ponto = rede P2P = computador conectado via internet diretamente com outro computador sem passar por um servidor central). Se o Bitcoin foi idealizado para se tornar um dinheiro (eletrônico) nada mais natural que ele tenha algum valor. Esse valor pode ser negociado (cambiável) em qualquer moeda de qualquer país do mundo, como de fato é o que acontece na prática. Ou seja, o bitcoin não está necessariamente vinculado ao dólar. Se você procura uma corretora (Exchange) brasileira de criptomoedas para comprar alguma quantidade de bitcoins eles vão pedir que você deposite a quantia equivalente em Reais do montante que você pretende comprar de criptomoedas (eles não vão pedir o depósito em dólares). Ou seja, se você cria uma forma de pagamento necessariamente você precisa ter algum valor, mesmo que esteja implícito considerando o limite de bitcoins que será emitido, já que ao contrário do dinheiro oficial (fiat) o bitcoin não é criado com valor de face/estampado.

Se o bitcoin nasceu para ser um dinheiro é natural que ele seja cambiável (trocado) com outras moedas. Como o Dólar é a moeda padrão nos contratos comerciais realizados entre diferentes países e considerando que o bitcoin foi criado (virtualmente) nos Estados Unidos a vinculação inicial com o Dólar foi algo natural. As primeiras transações foram realizadas lá nos Estados Unidos. Uma das primeiras transações pagas com bitcoin foi a compra de 2 pizzas que hoje equivaleria a pagar alguns milhões de dólares para matar a fome. No entanto o bitcoin pode ser vinculado a qualquer moeda do mundo.

Vale registrar que apesar de ter sido criado como uma alternativa ao dinheiro oficial emitido pelos países o bitcoin não conseguiu se estabelecer como um meio de pagamento eficiente. Atualmente o bitcoin tem sido visto como reserva de valor ou forma de investimento. O assunto é polêmico e existem vários entendimentos sobre o tema mas por enquanto é fato que não conseguiu substituir o dinheiro do dia a dia, aquele que usamos para pagar um café na padaria da esquina.

Faz Sentido?

Esta é outra questão de natureza filosófica. Faz sentido? Precisamos completar a frase incluindo para quem? Muitas coisas não fazem sentido para uns e fazem para outros. Muitas coisas fazem sentido numa determinada época e não fazem sentido em outra época. Muitas coisas fazem sentido num lado do planeta e não fazem sentido no outro lado do planeta.

Em 2008 o mundo passou por uma grande crise financeira (também chamada de crise do subprime) que levou o centenário Banco Lehman Brothers à falência gerando um risco de quebradeira como efeito cascata.

Se puder assista o filme A Grande Aposta que é sobre essa crise:

O bitcoin nasceu para superar esse mundo de “Wall Street” que é retratado de forma nua e crua no filme. Nasceu aproveitando tecnologias e conceitos que existiam e que foram agrupados para a construção de um sistema que serviria como alternativa para o dinheiro emitido pelos governos, pelo menos essa era a ideia inicial, conforme consta no white paper. O bitcoin não depende de bancos centrais, governos, banqueiros privados ou outros tipos de intermediários garantidores como avalistas ou fiadores.

Essa crítica ao modo de ser do mercado financeiro foi incluído no bloco genesis. É possível incluir mensagens numa transação arquivada no Blockchain do bitcoin. A primeira transação continha uma mensagem que é bem conhecida dentre os adeptos das criptomoedas. Em tradução livre: “Ministro (Inglês) está prestes a socorrer bancos pela segunda vez”. A inclusão da manchete retirada da edição do dia 03/01/2009 de um grande jornal londrino comprova a data em que foi minerado o bloco genesis além de registrar a crítica ao sistema financeiro centralizado.


Capa do jornal londrino The Times do dia 03 de janeiro de 2009 e à direita a mensagem que foi incluída na transação do bloco genesis.

Vale lembrar que possivelmente Satoshi Nakamoto era um cypherpunk (não confundir com cyberpunk) ou era alguém próximo a esse pessoal adepto do anonimato baseado em criptografia.

Assim como talvez não fizesse sentido Marck Zuckerberger criar o Facebook enquanto estudava na Universidade ou não fizesse sentido aluno de outra universidade desenvolver um projeto de pesquisa que se transformou no Google. Qualquer coisa pode fazer sentido ou não dependendo de muitas questões. Vai muito além de quem faz a pergunta e está mais relacionado com quem está envolvido na criação de algo. O que impulsiona alguém no começo de um projeto que muitos duvidam é algo que eu não consigo explicar. Poucos tem esta capacidade de seguir adiante até atingir o objetivo proposto por isso não temos centenas de Googles e Amazons ou encontramos gente como Elon Musk em cada esquina.

Hoje não faria sentido pagar duas pizzas com uma baciada de bitcoins mas, na época pode ter feito todo o sentido:

Cypherpunks e o bitcoin:

2 curtidas

No tópico abaixo é possível ver alguém que inicialmente achava bitcoin interessante e passou a criticá-lo ferozmente:
Bitcoin, Moedas e Fragilidades, por Taleb - Iniciante - TriboCrypto

No tópico abaixo é possível ver como é feita a inclusão de um texto no blockchain do bitcoin. o texto ficará lá enquanto existir o blockhain do bitcoin:
Como incluir um texto no Blockchain do bitcoin sem entender programação - Iniciante - TriboCrypto

Um tópico sobre alguns sites que permitem “olhar” para dentro de um Blockchain de uma forma “amigável”:
Tornando Amigável a Visão do Blockchain, dos Nós e Outras Coisas Ligadas - Programação - TriboCrypto

Outra postagem sobre Blockchain:
As Armadilhas de um Sonho, a Confiança Baseada na Tecnologia Blockchain - Iniciante - TriboCrypto

Fiz uma série de postagens sobre Satoshi Nakamoto:
Por onde anda o criador do bitcoin Satoshi Nakamoto - Iniciante - TriboCrypto

Seus posts são sempre impressionantes, mas este aqui foi excepcional. Fico feliz que os meus vídeos antigos ainda são relevantes.
Vou “fixar” o tópico pois é uma dúvida muito comum de iniciantes.
Obrigado!

3 curtidas

Faço das palavras do Tiago, as minhas.
A propósito, também gostaria de parabenizar o Tiago por seus vídeos excepcionais, inclusive foi por lá que descobri a comunidade.

Quanto a questão do valor da moeda, assim como pra muitas outros ativos nesse mundo, ela simplesmente valerá aquilo que quisermos que valha. Isso é algo que assusta algumas pessoas, pois faz parecer que é algo sem consistência, mas é justamente o oposto.

Entendo que o que falta para o Bitcoin deslanchar de vez, também a Etherium, é a compreensão do fundamento que essas redes carregam. Hoje, para a maioria, Bitcoin não passa de uma moeda digital que serve como investimento para fazer muito dinheiro.

1 curtida