XRP (Ripple) ultrapassa Ethereum e torna-se a segunda criptomoeda em valor de mercado

#1

Na data de hoje, 24/11/2018, por volta das 11:30 da manhã, segundo dados do site CoinMarketCap a criptomoeda XRP que foi criado pela empresa Ripple ocupa a segunda posição em valor de mercado, superando o ethereum que ocupou o segundo lugar durante muito tempo. Em primeiro lugar temos o bitcoin/BTC com valor de mercado estimado em 75 bilhões e no segundo posto agora temos XRP com 16.2 bilhões superando o ethereum que alcança 12,6 bilhões de dólares. A diferença entre o segundo e o terceiro colocado é de cerca de 3,6 bilhões de dólares. Vale notar a grande distância existente entre o bitcoin e o segundo colocado que é de cerca de 58 bilhões de dólares, ou seja, o BTC vale quase cinco vezes o segundo colocado em valor de mercado (na data de hoje). Outra visão com os dados de valor de mercado do site CoinMarketCap, por exemplo, é que neste momento temos 10 criptomoedas com valor de mercado acima de 1 bilhão de dólares.

 

No mundo das criptos o caso da criptomoeda XRP se destaca entre outros fatores por ter uma concepção diferenciada em comparação com outras criptomoedas baseadas em blockchain “puro”, como bitcoin e ethereum. Curioso pelo crescimento do valor de mercado do XRP que eu conhecia apenas levemente fui dar uma olhada um pouco mais detalhada. Se já é difícil entender e acompanhar uma única moeda acompanhar várias me parece uma tarefa ainda mais complicada, por isso eu decidi focar apenas no bitcoin. Mesmo assim dei uma pesquisada no XRP apenas por curiosidade, nada muito profundo ou específico. O que eu consegui entender, ou pelo menos acho que entendi desse projeto segue abaixo:

 

1) Pré-mineração: Inicialmente vale registrar que o XRP não nasceu a partir de um “hard fork” do bitcoin ou de outra criptomoeda. Também não existe o processo de recompensa via mineração. Os 100 bilhões de XRP, que é o total máximo definido para esta criptomoeda já foram pré-minerados pelos seus criadores que retiveram 20% (20 bilhões de XRP’s) para si. Deste percentual cerca de 10% (10 bilhões) foram vendidos ou doados nos últimos anos. Os outros 80% foram destinados para o Ripple Labs Inc, empresa privada fundada por Chris Larsen e Jed McCaleb. McCaleb foi um dos criadores da falida Exchange Japonesa Mt. Gox, do sistema eDonkey de troca de arquivos via rede P2P e criador de outra criptomoeda (após sair da Ripple), chamada de Stellar/XLM que (neste momento) ocupa a 5.ª posição no ranking CoinMarketCap com um valor de mercado de 3,3 bilhões de dólares. Do montante de 80 bilhões de XRP’s pré-minerados estima-se que cerca de 65 bilhões ainda esteja em posse da empresa Ripple;

 

2) Identificação dos usuários : Se você vai usar a rede Ripple somente para enviar e/ou receber XRP não é necessário se identificar e/ou se cadastrar. No entanto, através das carteiras XRP é possível enviar e receber outras moedas além do XRP, inclusive moedas fiat. Porém, neste caso a rede exige que você seja um cliente cadastrado/identificado para que possa operar transações em outras moedas. Neste caso a tarefa é feita por uma empresa conectada na rede como “XRP Ledger Gateway”. Um “XRP Ledger Gateway” é uma função destinada para empresas que fazem interface com o resto do mundo, segundo definição da própria Ripple, ou seja, geralmente são empresas que prestam serviços financeiros (não necessáriamente um banco) ao redor do mundo. É uma tarefa que lembra serviços realizado pelas “Exchanges” ao executar atividades como identificar e cadastrar usuários e fazer a troca entre criptomoedas e moedas fiat ou mesmo entre moedas fiat (Dólar x Euro). A execução destas atividades cambiais depende das regras de cada País;

 

3) Intercâmbio de moedas fiat: O Ripple já é adotado por várias instituições financeiras como os Bancos Itaú, Santander e BBVA. Várias empresas prestadoras de serviços financeiros como MoneyGram e American Express também já adotaram o Ripple. O motivo desta simpatia e cooperação/ligação entre o Ripple/XRP e as empresas financeiras em geral está na finalidade do sistema, servir como um sistema global de transferência de recursos. O sistema da Ripple trabalha com uma moeda nativa (XRP) mas também faz transações com as moedas fiat (dólar, euro, etc). As transações com moeda fiat são baseadas num processo conhecido como “Hawala” onde se faz remessa de dinheiro sem que seja necessário movimentar este dinheiro fisicamente de um local para outro. Neste sistema “Hawala”, em resumo, você entrega uma quantia para um agente/intermediário que se localiza no seu País e indica o destinatário final. Este intermediário fica com a quantia em dinheiro que você entregou. Em seguida este agente credita esta quantia numa conta de outro intermediário localizado no País destino. Na outra ponta o intermediário verifica que houve um crédito e entrega/credita o valor equivalente em moeda local ao destinatário final indicado pelo remente sem que tenha sido necessário fazer a remessa física do dinheiro. Cria-se uma espécie de conta corrente dentro do sistema “Hawala” com créditos e débitos de ambos os lados (espécie de livro contábil) onde periodicamente podem ser feitos ajustes/acertos para evitar o desbalanceamento de saldos a favor de um ou outro lado. No caso do sistema Ripple a função de intermediário é realizada pelos “Gateways”. Basicamente o sistema avalia o custo da transação entre duas opções numa remessa de moeda fiat diferentes (remessa de Dólar americano para retirada de Euro na outra ponta). Como primeira opção o sistema avalia se é interessante converter a moeda original para a moeda nativa do sistema (XRP) e na saída reconverte os XRP’s para Euro ou se vale a pena fazer a operação direta convertendo diretamente Dólar americano em Euros dentro do sistema. Como não existe almoço grátis caso o remetente queira que o destinatário receba 100 Euros na outra ponta deverá enviar o equivalente aos 100 Euros mais o custo da transação em dólares ao iniciar a transação. Exemplo: supondo que 1 Dólar vale 0,80 Euros para que o destinatário receba 100 Euros será necessário enviar 125 Dólares mais o custo da transação. Este custo é indicado no momento em que se insere a transação na carteira e serve para remunerar os serviços executados pelos “Gateways” que realizam a conversão/pagamentos entre as moedas para o usuário final, sejam elas criptomoedas ou mesmo as fiat.

 

4) Regras de Compliance: Um dos motivos pelos quais o Ripple pode ter se tornado o “queridinho” das instituições financeiras além do fato de não ter como objetivo substituir as moedas fiat, como é o caso do bitcoin, atuando como complemento mais viável sob o aspecto de agilidade e custo está no fato do sistema ter regras de Compliance. Uma delas é conhecido como KYC (“Know Your Customer”) ou conheça seu cliente. Esta tarefa se realiza pelo cadastro/identificação do cliente e também pelo monitoramente/avaliação das transações/atividades realizadas pelos clientes. As duas outras regras praticadas são: AML - “Anti-Money Laundering” (evitar lavagem de dinheiro) e CFT - “Combat the Financing of Terrorism” (combater o financiamento ao terrorismo). Estas ações ou práticas são realizadas principalmente pelas empresas que atuam como “Gateways” do sistema.

 

5) Similaridades e Diferenças: Ambos são desenvolvidos em código aberto e operam em redes P2P. Enquanto o sistema do bitcoin é suportado por um blockchain descentralizado o sistema do XRP é mais conhecido como DLT - Distributed Ledger Technology. A expressão “ledger” aparece bastante nos materiais publicados pela Ripple relacionados ao XRP. O sistema da Ripple usa o algoritimo de hash SHA512 enquanto o sistema do Bitcoin usa o SHA256. Contábilmente o bitcoin tem 8 casas decimais enquanto XRP tem 6 casas decimais. O XRP nasceu em 2012 enquanto o BTC nasceu em janeiro de 2009. A quantidade máxima de criptomoedas prevista para o XRP é de 100 bilhões que já foram totalmente mineradas pelos criadores antes do lançamento enquanto os BTC’s estão sendo minerados a cada 10 minutos em média até atingir o máximo de 21 milhões. Em alguns artigos publicados sobre o XRP, inclusive no wikipedia consta que uma quantidade mínima de XRP’s é destruída quando são realizadas transações em moedas fiat no sistema, mas não consegui apurar isso consultando no material da própria Ripple, mas pode ter sido pelo pouco tempo que eu destinei para as consultas que foram superficiais.

 

Em resumo básico, sem nenhuma pretensão de entrar fundo no assunto, apenas por curiosidade os pontos acima foram os que eu identifiquei em simples comparação com o pouco que eu conheço do bitcoin. Tudo ficou na teoria, não acessei a rede do Ripple, não comprei XRP e não baixei a carteira. Para concluir, me parece razoável que contando com apoio das instituições financeiras o XRP se torne uma das criptomedas viáveis e se consolide neste mercado que já conta com mais de 2.000 criptomoedas. Ironicamente, aqueles que tem XRP como “investimento” e não por alguma necessidade está justamente alimentando uma espécie de “alternativa viável ou aceitável” de criptomoeda para o atual “establishment” financeiro que não consegue aceitar uma criptomoeda “pura” como bitcoin mas consegue se associar a uma criptomoeda amigável como aparenta ser o XRP. Nada contra ganhar dinheiro mesmo que seja comprando e vendendo XRP. O idealismo pode ser lindo e maravilhoso mas não põe comida na mesa e não ajuda a pagar os boletos no fim do mês.

Valor de Mercado:

Portal do Ripple para desenvolvedores com conceitos, tutoriais, etc.:
https://developers.ripple.com/index.html

Ripple no wikipedia:

Diferença entre Blockchain e DLT (1):

Diferença entre Blockchain e DLT (2):

Algorítimo do Protocolo de Consenso do sistema XRP:

Ripple no Portal do Bitcoin:

1 Like
#2

Caramba! Excelente, Cecilio!
Diria que foi o melhor “dossiê” que já vi sobre a XRP. Nunca fui atrás de informações sobre ela e aprendi várias coisas.
Muito obrigado!

1 Like
#3

Quase seis meses depois desta postagem, revisitando dois sites de acompanhamento do mercado de criptomoedas, na data de hoje constatei que o Ethereum voltou a ocupar a segunda posição em termos de “Market Cap”, ou seja, em valor de mercado. Fica registrado que houve troca na segunda posição novamente ocupada pelo Ethereum. No CoinMarketCap o XRP ocupa o terceiro lugar e no CryptoCompare ocupa a quinta posição no momento em que eu faço esta postagem. Os sites que demonstram esta situação seguem abaixo:

Eu particularmente sou mais fã do cryptocompare e dá para notar que existe uma certa diferença entre os valores de um e outro site mas no geral me parece que as posições indicadas refletem a realidade dos mercados.