Como são propagadas as transações na rede Bitcoin?

#1

Olá, sou iniciante em criptomoedas e gostaria de saber qual seria o incentivo dos mineradores para reenviar uma transação, pois imagino que seria mais lucrativo se após receber a transação o minerador simplemente tentasse formar um bloco por conta própria e assim conseguir todas as taxas. Claramente estou desconsiderando a participação do minerador em um pool de mineração.

Como é feito a remuneração por validação ?
#2

Olá Uranium, seja bem vindo ao fórum.

O processo de propagação de uma transação na rede P2P é feita por “nós” e não necessariamente ou somente pelos mineradores. Um “nó” pode ter até 4 funções diferentes, podendo acumular mais de uma. O minerador é um dos tipos de “nó” da rede, outro tipo é o das carteiras que controlam os saldos e através das quais se fazem transações. O que o minerador propaga para a rede é o bloco minerado por ele. Este bloco é recebido e validado por outro tipo de “nó”, também conhecido como “full node” que guarda uma cópia completa do blockchain atualizada, a cada dez minutos. “Exchanges” ou corretoras de criptomoedas também podem ser um “nó” da rede. O trabalho mais pesado e que exige capacidade de processamento gigantesca é dos mineradores sendo este o motivo pelo qual são recompensados a cada bloco válido que conseguem minerar.

Para uma visão mais genérica do processo:
https://web.archive.org/web/20160428134050/https://bitcoin.com.br/o-ciclo-de-vida-de-uma-transacao-bitcoin/

Caso queira se aprofundar ou esteja em busca de algo mais técnico:
https://itsriodejaneiro.gitbooks.io/bitcoin-para-programadores/content/

4 Likes
#3

Apenas para complementar a explicação do @Cecilio.
Os mineradores não recebem a transação, eles a retiram de uma fila, chamada MEMPOOL.
Lá eles podem escolher qual transação será incluída no bloco que eles estão minerando.

O minerador, se quiser, poderia gerar um bloco sem transações, mas ele deixaria de coletar as taxas que estão sendo ofertadas nas transações.

Veja se essa explicação ajuda à entender o funcionamento da dinâmica da Blockchain do Bitcoin: https://medium.com/@silvio.carlos/como-funciona-da-blockchain-do-bitcoin-9c7d52f2fa12

3 Likes
#4

Muito obrigado, pelas respostas mas mesmo assim ainda não compreendi qual seria o incentivo dos nós criarem o mempool sem receber nada por isso, pois certamente as validação da transações requerem um processamento mesmo que este seja baixo.

#5

Existe um artigo no https://en.bitcoin.it/wiki/ exatamente sobre isto:

https://en.bitcoin.it/wiki/Clearing_Up_Misconceptions_About_Full_Nodes#Myth:_There_is_no_incentive_to_run_nodes_so_the_network_relies_on_altruism

É um pouco extenso para traduzir aqui, mas o incentivo para se rodar um full node não é explicitamente financeiro como o incentivo do minerador para minerar blocos.
O incentivo é segurança e privacidade do próprio usuário, e a não necessidade de confiar em terceiros.

Como efeito colateral ajuda a propagar os blocos válidos, evita a proliferação de blocos inválidos que poderiam poluir a rede, e principalmente ajuda a manter o sistema o mais descentralizado possível.

6 Likes
#6

Tiago, sou novo no mundo do blockchain, mas, o incentivo para rodar um full node é a verificação da veracidade da transação de recebimento na sua carteira ?
@tiago

#7

Felipe,
Você disse que viu um vídeo do Fernando Ulrich onde surgiu a dúvida sobre o custo das transações. Tem um vídeo do Fernando falando exatamente o que o Tiago disse acima, ou seja, que um usuário “full node” não está necessariamente em busca de incentivo financeiro (pagamento ou recompensa). Nem tudo nesse universo funciona na base do “capitalismo”. Os quatro tipos de nós que existem na rede P2P do Bitcoin são: carteira (wallet), minerador, blockchain completa (full node) e roteamento na rede P2P. Um tipo de nó não exclui outro, ou seja, um nó pode desempenhar duas ou mais “funções” ou papéis na rede. Uma das grandes questões envolvendo a existência do Bitcoin & Blockchain é justamente o fato de não ter um “dono” lucrando com o seu funcionamento e por tabela a cadeia envolvida lucrando em cada parte do processo. Vale ressaltar que o Bitcoin nasceu por obra de pessoas com ideias libertárias (cypherpunks) que certamente não estavam pensando em riqueza (deles próprios) ou mesmo tornar toda a cadeia do sistema uma fonte de receitas. Como o próprio Fernando cita no vídeo existem empresas como Exchanges e Universidades como o MIT que sustentam a equipe de desenvolvedores que atuam em tempo integral mantendo a integridade do sistema, bem como existem dezenas de pessoas que colaboram com sugestões (melhorias, indicando possíveis falhas, etc) sem ganhar nada. Neste aspecto o Bitcoin é muito diferente por exemplo de outras grandes inovações lançadas para que seus criadores auferissem muito dinheiro (Google, Facebook, Microsoft, etc).

O que é basicamente uma rede P2P:
https://btcparaprogramadores.marcoagner.org/rede-p2p.html

Video do Fernando:

Material sobre Blockchain, consenso, criptografia, etc.
http://www.sbrc2018.ufscar.br/wp-content/uploads/2018/04/Capitulo5.pdf

2 Likes
#8

Muito obrigado. Muito boa explicação !!