[Vídeo] Carteira Bitcoin! As suas moedas não estão lá!


#1

Percebi que muita gente iniciante (e até alguns mais experientes) tem dificuldade de entender o conceito de carteira, principalmente por envolver questões de criptografia, e resolvi gravar esta palestra/apresentação explicando de forma mais simples como isto funciona em uma blockchain.

É o primeiro vídeo aqui da TriboCrypto, e feedbacks são bem vindos.

Então… suas moedas não estão na sua carteira (aplicativo), estão na blockchain.

Se isto é algo que te incomoda, de não entender como que é possível seus bitcoins estarem seguros sendo que não estão fisicamente com você, então te convido a assistir o vídeo abaixo aonde esclareço melhor esta questão, e explico como a matemática te protege.

De quebra você irá ver um site que contém todas as chaves públicas e privadas de todas as carteiras da blockchain do Bitcoin e Ethereum, e vai entender como isso não é uma falha de segurança.

Então lembre-se: Aqueles “seus” bitcoins que estão em uma exchange, e não em uma carteira que você detenha a chave privada, na verdade não são de fato “seus”.

Gostaria de incrementar a discussão? Responda aqui em baixo, crie tópicos com suas dúvidas e alimente a comunidade com informações relevantes sobre criptomoedas. Junte-se à TriboCrypto.


Soft fork e Hard fork na blockchain. O que são?
#2

Oi Tiago, parabéns pelo vídeo e pela iniciativa do fórum.
Gostei muito da ideia e acredito que a comunidade tem tudo para crescer e se fortificar cada vez mais.
Eu tenho uma dúvida e uma sugestão no que diz respeito as carteiras de cryptomoedas em geral.

Dúvida: Depois de fazer uma transação para uma papper wallet como é o procedimento para retirar os valores contidos nela? É preciso utilizar algum software no desktop ou mesmo no smartphone para fazer a retirada?

Sugestão: Comecei no mundo das cryptomoedas em janeiro desse ano. De lá pra cá tenho aprendido algumas coisas no geral, por isso me considero ainda iniciante. Mas dos vídeos, blogs e canais que acompanho quase não vejo tutoriais ou mesmo suportes para usuários linux (sobretudo os mais leigos, como é o meu caso :wink: ) que queiram, por exemplo, instalar carteiras nos seus desktops ou mesmo configurar os softwares de mineração. Talvez fosse interessante discutir essas questões por aqui!! :wink:

Mais uma vez, meus parabéns pela iniciativa!


#3

Fala Higor!
Obrigado e seja bem-vindo!

Sim! você precisa de um software para criar a transação, assinar com a sua chave privada e enviar à blockchain. A paper wallet só contém as chaves propriamente ditas. No software você importará a sua chave privada e assim poderá tomar controle sobre o seu endereço público.

Excelente ideia. Vou pensar aqui em algum conteúdo relativo a isso. Eu pessoalmente já queimei uma placa GTX 440 fazendo mineração, e depois disso resolvi parar :slight_smile:

Essa semana mesmo estou criando umas imagens docker já prontas para mineração (mais por diversão do que por intenção de minerar de fato). Se der certo vou compartilhar elas aqui na tribo.


#4

Olá Criptomaníacos!
Ao lado de outros assuntos envolvendo o universo das “moedas virtuais” a questão das “wallets” ou carteiras é igualmente muito interessante. Se por um lado parece simples associar a ideia de guardar moedas físicas numa carteira com a ideia de armazenar “moedas virtuais” numa carteira digital, por outro lado o assunto também é complexo. Como bem destacou o Tiago e na minha visão é a questão central do assunto, antes de qualquer coisa, é preciso entender que as “moedas virtuais” criadas nos diversos blockchains não circulam pela web indo de um smartphone para outro ou de um PC para um notebook onde esteja instalado o aplicativo da carteira digital. As moedas virtuais nascem e permanecem lá dentro do blockchain.
Evoluindo a ideia do cofre onde ficam armazenados os bitcoin eu acrescentaria uma segunda condição no exemplo, todos os cofres estão confinados num determinado espaço e não podem sair deste espaço (blockchain). Ou seja, as “moedas virtuais” apenas podem ser transferidas de um cofre para outro dentro dos limites daquele espaço onde elas se encontram (que é o próprio blockchain). Existe, na maioria dos casos, um limite máximo de moedas que poderão existir dentro deste espaço (blockchain), mas não há limite quanto a quantidade de cofres, cada um deles com uma identificação que os distingue dos demais ao mesmo tempo que também existe um vínculo (possibilidade de acesso) entre o cofre o dono do cofre, que pode estar em qualquer lugar do mundo.
Uma outra questão sobre este assunto das carteiras e que corrobora a opinião do Tiago quanto a infelicidade na utilização da palavra carteira é que no caso das moedas físicas existe um limite físico de espaço e peso. Não dá para carregar 1 milhão de reais na carteira, mesmo que fosse possível, não seria razoável por motivo de segurança. No caso das carteiras de “moedas virtuais”, como são aplicativos que acessam a conta dentro do blockchain onde ficam armazenadas as “moedas virtuais” a carteira mostra sempre o valor total daquela carteira, sem limite de valor. E se não saímos por aí mostrando nossas carteiras físicas, mesmo que a quantidade de moedas seja muito pequena, por outro lado, as carteiras digitais exibem o saldo públicamente, basta ter um computador e acesso à internet. A propósito, uma história interessante e que me parece verdadeira sobre acesso a carteiras digitais:


Sem querer fazer propaganda, mas já fazendo, recentemente saiu uma reportagem originalmente feita pela Bloomberg mas que também foi publicada pela UOL sobre a empresa XAPO que é de origem Argentina, mas salvo engano tem a sede nos Estados Unidos, que diz ter sob sua guarda cerca de 10 bilhões de dólares em bitcoins de milionários que estão comprando e guardando seus bitcoins na XAPO. Segue abaixo o link da matéria original do Bloomberg (em inglês) e do UOL em português.


Eu particularmente ainda acho que esta questão precisa ser melhor equacionada para evitar situações como a morte de pessoas que detém “moedas virtuais”, uma das certezas desta vida é justamente o seu oposto, a morte.