Quais são seus medos com relação às criptomoedas?


#1

Sei que muita gente é iniciante e o medo de ingressar em um mundo novo é algo inevitável, principalmente quando se trata de dinheiro e os riscos envolvidos.

Os meus dois principais medos no início foram:

  • transferir bitcoin de uma exchange para uma carteira privada e o dinheiro nunca aparecer na carteria destino.
  • comprar criptomoedas e ver o valor oscilar bruscamente.

O primeiro medo eu consegui superar estudando mais sobre blockchain e entendendo como ela funciona. O segundo medo eu confesso que é algo com o qual aprendi a conviver.

Com o tempo a gente vai aprendendendo a controlar os riscos e o medo vai diminuindo, mas pelo menos para mim, nunca deixou de existir :slight_smile:

Quais foram (ou são) os seus medos? Que tal compartilhar sua experiência com os demais membros?

Quero aproveitar e dar as boas vindas aos novos membros da tribo vindos lá da nossa discussão no canal do Diolinux. Aos que quiserem assistir a conversa completa, aqui está o link: https://www.youtube.com/watch?v=m4edfrelMAc


#2

Realmente, há um “medo” de fazer errado, ou seguindo orientações erradas.
Agradeço a iniciativa, espero que eu possa entrar no mundo das cripto moedas o quanto antes e sair fora das instituições financeiras que cobram muito e não fazem nada.
Em um país como o Brasil, fica ainda mais evidente como essas organizações são maléficas para o nosso desenvolvimento.


#3

Na internet tem muita informação boa, mas está misturada com desinformação, pirâmides e golpes. É dificil conseguir separar o joio do trigo.

Acho que o caminho para adoção em massa ainda é longo, mas as criptomoedas mostraram que há uma luz no fim do túnel.

Pessoalmente não acredito no fim das instituições financeiras, mas acredito que haverá uma mudança profunda. Assim como o surgimento do e-mail não matou os correios, e o uber não matou os taxis, acredito que haverá adaptação grande no mercado financeiro para acomodar as criptomodas.

O anúncio da CME no último mês é um grande indicativo de que isto já começou a acontecer: http://www.cmegroup.com/media-room/press-releases/2017/10/31/cme_group_announceslaunchofbitcoinfutures.html


#4

Olá Criptomaníacos!

Na minha visão esta questão de ter algum receio, temor ou medo relacionado as diversas criptomoedas em geral está relacionado ao grau de envolvimento com as tais criptomoedas, seja ele bitcoin, ethereum, monero ou qualquer um dos milhares que já existem.
De um lado temos os entusiastas que entenderam e passaram a admirar a genial ideia representada principalmente pelo binômio bitcoin & blockchain. O temor deste primeiro grupo é de longo prazo. Talvez e ouso dizer que o maior temor deste grupo seja a ocorrência de uma conjunção de forças (grandes instituições financeiras aliadas a governos) que impeça a disrupção de fato, como foi idealizado na sua criação. Este grupo tem medo que ele acabe morrendo sem atingir um estágio de maturidade suficiente para que ele cumpra de forma efetiva seu destino (ser uma alternativa confiável ao tradicional e frágil modelo bancário atual, onde concordo com o Tiago no sentido de que os Bancos não irão desaparecer). Para este grupo o tempo significa conquista, avanço rumo a consolidação e estabilização da ideia e/ou do conceito na sociedade, no dia a dia, no nosso modo de vida. Por enquanto me parece que estamos caminhando de forma satisfatória, numa boa direção. O futuro parece promissor.
Por outro lado, se entrou nessa sem o devido preparo, na onda da valorização ou para não ficar para trás e/ou almejando riqueza num estalar de dedos, seus medos são outros, mais imediatos. Além do temor decorrente da perda financeira vive aterrorizado pelas notícias (na maioria falsas) sobre fraudes, pirâmides, dark web, etc. Esse grupo vive criando e dando “up” nos diversos canais da web que tratam deste tipo de assunto. Muitas vezes não escrevem nada além do nome da moeda nos comentários. Outros pedem análise desta ou daquela moeda na expectativa de que seja uma análise positiva. Compram milhões de criptomoedas “baratinhas” sonhando em ser o próximo bilionário das criptomoedas. Não é algo impossível, pode até dar certo, mas é como ganhar numa loteria. A lição mais importante para quem está neste segundo grupo, além dos medos e temores mais imediatos aos quais estão sujeitos é que existe no mundo real uma coisa chamada criação de riqueza e outra chamada transferência de riqueza. No primeiro caso temos dois exemplos interessantes no mundo das criptomoedas: bitcoin e ethereum que geram valor para as pessoas envolvidas com seus projetos e com tudo que se relaciona com estas criptomoedas (cursos, palestras, artigos, aplicativos, etc). No segundo caso existe apenas uma ideia, um conceito descrito num White Paper, ou ás vezes nem isso. Nesse caso se dá um processo chamado de transferência de riqueza, você compra uma ideia sem a mínima garantia da sua real possibilidade de concretização. Ou seja, você transfere valor (riqueza) de um lado para outro sem entregar concretamente em troca algo de valor. Existem muitas ideias interessantes e boas, mas a grande questão é concretizá-la. Não estou me referindo somente a questão das ICO, existem várias que saíram do estágio inicial e já estão circulando, mas com qual propósito e porque são melhores do que o original? Porque escolher uma criptomoeda que nasceu ontem e não aquela que nasceu primeiro e conta com um dos melhores senão o melhor e maior time de desenvolvedores envolvidos com a sua manutenção/estabilidade e continuidade/desenvolvimento?
Concluindo, entre um grupo e outro, a diferença está na escolha da forma de sofrimento. Um sofrimento é ideológico e o outro é financeiro.


#5

Excelente análise, @Cecilio !

Esta distinção entre a criação e transferência de riqueza infelizmente é pouco compreendida por muitos, e um conceito de extrema importância principalmente para quem está trocando seus ativos de maior valor por tokens (que podem ser criados infinitamente com custo zero) que carregam simplesmente uma remota promessa de valor.

Muito obrigado!


#6

obrigado pelo artigo.
Estou iniciando meus estudos em programação.
gostaria de entrar em contato
por email se possível.
o meu é arnobioaires@gmail.com
aguardo contato.


#7

O meu maior medo são os avanços da computação quântica, após ter um certo intendimento da blockchain a variação brusca do preço da criptomoeda não era tão relevante pois para mim o importante é que a rede consiga cumprir o que foi proposto e a única coisa que eu considero capaz de prejudicar isso é a computação quântica.


#8

Tem um artigo muito interessante e detalhado sobre o assunto escrito pelo Avelino:


#9

Tiago,

Li o texto que você indicou e também recomendo a todos que tenham algum interesse ou curiosidade sobre computação quântica e os riscos que pode trazer para o sistema bitcoin.