Preço do Arroz, Feijão, Leite e da Soja

Moradores de locais próximos a quartéis do exército brasileiro estão percebendo uma grande movimentação de caminhões descarregando caixas com sementes de arroz além de centenas de enxadas no pátio destas unidades do exército. Comenta-se que os soldados estão sendo treinados para plantar arroz. É claro que é uma brincadeira e certamente não se planta arroz na base da enxada e sim com muitas máquinas, em larga escala. Eu que sou um legítimo descendente de japoneses não dispenso uma porção diária de arroz e por causa disso esse assunto me incomodou e fui dar uma pesquisada em alguns sites e apurei o seguinte:

De acordo com o site worldagriculturalproduction a produção mundial de arroz em 2020/21 deve chegar perto dos 500 milhões de toneladas. Os maiores produtores de arroz são os países asiáticos conforme ranking do site acima citado. O Brasil e os Estados Unidos contribuem com pouco menos de 7 milhões de toneladas cada um. O maior produtor é a China que sozinha produz quase 150 milhões de toneladas.

Outras informações publicadas no começo do mês de junho de 2020 no site eastwestcenter :

a) A pior seca dos últimos anos atingiu a região que mais produz arroz (Ásia);
b) A demanda mundial de arroz atingiu níveis que não eram vistos desde a crise de 2008;
c) Em decorrência da Covid 19 países produtores estão enfrentando dificuldades como falta de mão de obra e de logística. A Índia que é o maior exportador mundial chegou a suspender exportações por três semanas em abril/2020. Mianmar e Vietnã também suspenderam as exportações durante algum tempo. Tailândia e Camboja estão exportando normalmente, mas viram os preços subirem cerca de 25%.

Já no site da CNN Brasil consta a seguinte notícia de hoje, dia 10/09/2020: “Exportação de arroz cresce 81%”. Entre outros dados a notícia ressalta que o aumento ocorreu comparando-se o mesmo período de 2019 e 2020.

Por outro lado, apesar de exportar arroz o Brasil também é importador eventual de arroz (como está acontecendo neste ano por causa da baixa produção) e por causa disso hoje, dia 10/09/2020 o Governo anunciou que as alíquotas de imposto de importação do arroz foram zeradas até o final do ano, limitado ao volume de até 400 mil toneladas (de janeiro a agosto/20 foram importados cerca de 373 mil toneladas). Isso não acontece só com o arroz. Apesar de ser o maior produtor mundial de soja o Brasil importa soja. Mesmo sendo o terceiro maior produtor mundial de milho nós também importamos milho. E para variar, pagamos mais caro pelos produtos agrícolas importados.

Como esclareceu o Fernando Ulrich no vídeo abaixo, diante de questões epidêmicas e econômicas, a culpa não é do comerciante (eu acrescento que também não é do produtor que prefere exportar e ganhar mais). Aliás, vale lembrar que assim como todos os produtos agrícolas, o arroz tem um ciclo que vai da preparação das mudas, plantação, maturação, colheita, processamento (limpeza), distribuição para finalmente chegar até o nosso prato. A próxima safra de arroz chegará ao mercado somente em fevereiro de 2021. De um ano para outro, dependendo do preço e do clima os produtores migram do arroz para a soja diminuindo a área plantada.

A propósito economistas dizem que em momentos de crise é racional você comprar coisas básicas como alimentos e se possível em quantidades maiores do que o normal diante de qualquer notícia sobre aumento de preços, queda na remuneração/salário/benefício ou de desabastecimento de um determinado produto.


Imagem retirada do site: http://www.worldagriculturalproduction.com/crops/rice.aspx

Impacto da Covid nos Produtores de Arroz da Ásia
Fonte; https://www.eastwestcenter.org/news-center/east-west-wire/impact-covid-19-rice-farmers-in-southeast-asia

Importação e Exportação de Arroz, Soja e Milho
Fonte: https://saojoaquimonline.com.br/agricultura/2020/09/04/situacao-contraditoria-exportacao-de-graos-provoca-aumento-e-crise-na-agroindustria/

Volume de Importação de Arroz em 2020
Fonte: https://www.cnnbrasil.com.br/business/2020/09/10/exportacao-de-arroz-dispara-81-venezuela-e-maior-comprador-do-brasil

E para descontrair: