Blockchain será mesmo o futuro?

#1

Boa tarde amigos,

Venho de coração aberto e como iniciante levantar esse questionamento, irei explicar a situação:

-> Se você não quer ler um parágrafo sobre minha vida pule o primeiro logo abaixo.

Tenho 21 anos, me formei em técnico de informática aos 17 e mudei de área, entrei para contábeis em uma federal, acabei trabalhando mais com gestão financeira, porém sempre tive uma coceira na orelha com vontade de voltar a área de TI, estudei javascript, php etc, efim…

Vi a oportunidade na DSA de estudar e mesmo me especializar em engenheiro de blockchain, comecei a pesquisar bastante o assunto tanto aqui quanto no mundo, porém o que percebi é que há poucas vagas de emprego no Brasil, muitas vezes é apenas uma habilidade adicional ou complementar e não principal. Vídeos e artigos conhecidos que procuro sobre o tema em português sempre são de no máximo 2018, onde o blockchain parecia ser uma coisa extraordinária e revolucionária (que eu acredito ser). Sei q o blockchain se aplica a milhares de áreas, desde financeira até industrial e estatal, porém não estou vendo evolução no nosso país.

Então amigos, a tecnologia irá realmente deslanchar no Brasil? Ou caiu no esquecimento? O mercado irá progredir? Irão surgir novas e melhores vagas nesse ramo?

Quanto ao curso da DSA, alguém já fez ou conhece quem fez? Vale a pena? Posso começar a trabalhar/arrumar emprego com esse material? (Pelo que pesquisei eles parecem ser referência)

Estou em dúvida entre Engenheiro de Dados (Que possui milhares de vagas no Brasil) e Engenheiro de Blockchain, se puderem me ajudar em qual é mais válida a longo prazo eu fico imensamente agradecido!

Recorri a vocês, conhecedores do tema pois não conheço ninguém que entende sobre, acredito que essa comunidade pode me ajudar imensamente!

Abraço a todos!

#2

Fala Rone seja bem vindo.
Bom vou ser bem direto ao assunto “Blockchain”, no momento estamos vivenciando um hype enorme sobre Blockchain fazendo as pessoas acreditar que tudo vai ser resolvido com esta tecnologia, mais não é bem assim.

Sobre o futuro, isso só o tempo dirá, lembro muito bem quando a internet chegou por aqui muitos falavam que ninguém usaria e que era pra poucas pessoas e hoje isso prova o contrario.

No Brasil existe algumas empresas que já fazem o uso da tecnologia o case de sucesso que temos é o da OriginalMy que disponibiliza alguns serviços em Blockchain, além disso eu atualmente estou trabalhando em um serviço para autenticidade de arquivos usando Blockchain do Bitcoin.

Sobre material se não mim engano o ECOA-PUC RIO tem um curso introdutório grátis sobre Blockchain.

2 Likes
#3

Por ser algo relativamente novo é natural que existam dúvidas sobre o futuro do blockchain. Vou dar minha modesta contribuição, um tanto quanto extensa, assumindo desde já que não sou ligado ao ramo da informática, sou apenas bem mais velho do que a maioria que anda por aqui. Talvez até o uso que estou fazendo da palavra informática esteja incorreto. Por outro lado tenho certa curiosidade e algum tempo disponível sendo que parte deles é direcionado para dar uma olhada em diversos artigos envolvendo criptomoedas e blockchain. Definitivamente o “blockchain” ganhou vida própria mesmo tendo nascido para servir inicialmente como suporte para uma criptomoeda batizada de bitcoin. Cito dois fatores ligados ao sistema “blockchain” que considero importantes: código aberto e segurança. O código aberto permite que seja estudado e aperfeiçoado. A segurança que o sistema oferece garante a confiança dos usuários sem necessidade de participação de intermediários (governos, cartórios, etc.) fato que agiliza o processo e reduz custos. O que nasceu para ser uma alternativa fora do “establishment” financeiro mundial (governos + bancos) ultrapassou essa fronteira e no momento foi adotado por esse “establishment” sendo estudado por empresas de praticamente todos os ramos da atividade econômica. Já a sua aplicação efetiva ainda está em estágio inicial. É certo que vivemos um momento de “hype” como disse o Tayrone acima, que tem dois lados: o positivo faz com que atraia atenção da sociedade em geral e dos especialistas angariando novos interessados que passam a ser entusistas na medida em que efetivamente entendem seu funcionamento, suas vantagens e seu potencial no ambiente econômico, quando é bem utilizado; o lado negativo está relacionado a parte da sociedade e do “mainstream” que enxerga “apenas” a criptomoeda (face visível ou produto suportado pelo sistema) e que cresce ou diminui de acordo com as flutuações de preço, que muitas vezes é manipulado por ser um mercado emergente e com certa dificuldade de precificação com base em dados de mercado, nem sempre transparentes como gostaríamos.
O que eu penso sobre o “blockchain” é que trata-se de uma criação muito promissora, acessível por ser de código aberto, que desperta interesse em grandes agentes econômicos (Petrobrás, Itaú & Bradesco, IBM, SAP, etc.). Neste sentido me parece que o “blockchain” caminha para ser adotado como uma criação inovadora e confiável. Em outras palavras veio para ficar. O “blockchain” não vai substituir tudo, vai ser usado onde confiança e agilidade sejam requisitos necessários/desejados e como consequência disso ocorra diminuição de custos para o consumidor final, mesmo que seu uso seja em processos intermediários da cadeia de produção, o reflexo deve ser sentido na ponta que compra o produto beneficiado pelo uso do “blockchain”. Acredito que não vai seu um processo bombástico ou explosivo, fruto de algum evento marcante. Seu uso crescerá de forma orgânica por parte das organizações (governos, empresas, etc.) de forma que nem será percebido na maioria dos casos pelo usuário final que se beneficiará dessa inovação de forma indireta. Se a pizza é boa a maioria não se importa se foi feita em forno a lenha ou a gáz.
É natural termos dúvidas no início da vida. A escolha de uma especialidade que possa nos garantir uma renda boa para podermos viver de forma confortável e também amparando nossa família não é simples nem fácil para a maioria de nós. Seu eu estivesse no início da fase adulta, por exemplo, morando com meus pais e podendo me dedicar aos estudos por algum tempo e com apoio financeiro deles eu mergulharia de cabeça no estudo do blockchain. Por outro lado, se eu já estivesse trabalhando para me sustentar (e/ou tendo que ajudar nas despesas dos pais ou dos filhos) eu tentaria aprender bastante sobre blockchain num espaço de tempo maior, na medida do possível, para não comprometer o presente mas visando uma entrada nesse mundo mais adiante. Quem chega primeiro ou no início de um processo pode se dar bem se o negócio crescer ou pode se dar mal se o negócio não evoluir. Internet e e-mail nasceram nos anos sessenta. Windows e Google nasceram nos anos oitenta. Quem chegou primeiro com certeza se deu bem. Quem entrou depois ficou com uma parte menor do bolo, mas não passou fome. Quem chega hoje corre o risco de ter que entrar numa fila.
É importante ouvir pessoas próximas, buscar fontes confiáveis que tragam notícias de forma constante sobre o segmento e fazer uma reflexão sincera e introspectiva sobre o que queremos na vida. O presente (hoje) é fruto do que fizemos ou deixamos de fazer no passado (maior ou menor dedicação aos estudos e/ou ao trabalho) e o futuro (amanhã) será resultado que estivermos fazendo ou deixando de fazer agora (maior ou menor dedicação aos estudos e/ou ao trabalho). A sorte ajuda mas nem sempre ela aparece na hora que precisamos e algumas vezes ela aparece como azar. A única certeza sobre o futuro é que ele é incerto mas cabe a cada um nos empenharmos para que ele seja o mais próximo possível daquilo que nós queremos/planejamos/projetamos e para isso paciência e persistência são essenciais. Lembre-se, todos nascem iguais e zerados sob o aspecto do conhecimento, o velho chavão “ninguém nasce sabendo’ é essencialmente verdadeiro. Também é cruel para os que não percebem a importância e a utilidade do conhecimento na vida e para o futuro. Se você trabalha e recebe algum pagamento pelo seu trabalho/serviço percebe que o pagamento é feito em troca de algum conhecimento usado para a realização das atividades ou tarefas que executa. Se não tem conhecimento ou se desatualiza não sobrevive a longo prazo ou vai ficando para trás (ganha menos, promoção demora mais, etc.). Por outro lado, quanto mais conhecimento você tem mais probabilidades terá de receber pagamentos melhores. É certo que o sucesso não se resume a isso e não tenho nenhuma pretensão de trazer a receita do sucesso, fatores como personalidade, comportamento, adequação ao ambiente/empresa, realização/entrega de projetos, etc. são outros componentes, dentre alguns.
Boa sorte e independente da escolha, procure algo que te faça feliz e realizado, sucesso financeiro será consequência. A vida é feita de decisões que nos conduzem para um lado ou para outro. O futuro vai se construindo a partir das nossas escolhas cotidianas, mas se não sabemos para onde queremos ir, qualquer caminho serve, daí vem a importância de saber aonde queremor ir (projeto/plano de vida). A vida (assim como o tempo) tem apenas “play”, não tem “pause” nem “replay”.

Ciab é um dos principais eventos envolvendo a indústria bancária no Brasil:

Petrobrás enxergando potencial do blockchain:
https://www.agenciapetrobras.com.br/Materia/ExibirMateria?p_materia=980801

Duas grandes empresas empresas de softwares do mundo SAP e IBM:

Grandes universidades e escolas cada vez mais envolvidas com blockchain, incluindo a PUC RIo citado acima pelo Tayrone:

http://www.inovacao.usp.br/tag/blockchain/

https://emap.fgv.br/disciplina/mestrado/introducao-criptomoedas-aplicacoes-blockchain

Tendências do mercado de TI segundo a empresa Gartner tendo o Blockchain como uma delas:

1 Like
#4

Obrigado @jtayrone pela sua contribuição, realmente só o tempo para sabermos como o blockchain vai de fato impactar em como as coisas funcionam hoje.

Gratidão também a você @Cecilio seu comentário realmente é de muito valor e importância para mim, sem dúvidas, muito completo, construtivo e instrutivo.

1 Like
#5

Entrevista com coordenador de curso sobre Blockchain da Fiap de São Paulo.